Centro de treinamento de cães-guia de Urutaí é um dos primeiros do Brasil

Em 2016 anunciamos que o IFG de Urutaí teria um centro de treinamento de cães-guia. Isso hoje é realidade.
Dia 13 de dezembro é o dia do Cego. E lembramos dessa notícia, fomos verificar como está o centro.

O Centro de treinamento de cães-guia do Instituto Federal (IF) Goiano Campus Urutaí é o terceiro do Brasil. Os outros dois Centros foram inaugurados em Camboriú (SC), em 2012 e Alegre (ES), em 2015. Segundo o coordenador do Programa Cão-Guia de Urutaí, professor Leonardo Goulart, o centro foi inaugurado no dia 23 de abril deste ano, mas as atividades começaram ainda em janeiro de 2018.

O projeto tem o objetivo de formar novos treinadores e instrutores de cães-guia, bem como treinar e fornecer os animais como ferramenta de inclusão para pessoas cegas ou com baixa visão. “Hoje já existem dois cães em socialização e três adultos sendo treinados no canil em Urutaí”, contou o professor.

Segundo Leonardo, o tempo de formação do cão-guia é de aproximadamente dois anos, uma vez que ele passa pela etapa de socialização e, somente após esse período, é direcionado para o treinamento. Após encerrada a fase de amamentação, que dura aproximadamente de 45 a 60 dias, o animal inicia a fase de socialização, que é a primeira etapa do processo de formação. Neste período, os animais são levados para todos ambientes sociais possíveis, tais como ambientes de trabalho, academias, shopping centers, restaurantes e ônibus. “Essa fase é importante para o desenvolvimento das três principais características de um cão-guia, que são educação, obediência e foco no trabalho de guiar”, destacou.

Treinamento dos cães para cegos

Após a etapa de socialização, o cão será treinado pelos instrutores do programa no centro de formação. Esse treinamento dura em média 6 meses e é nessa fase que começa a seleção do cego que receberá o cão.

A seleção é feita a partir do Cadastro Nacional de Candidatos a Utilização de Cães-Guia, criado em 2014 pela Secretaria de Desenvolvimento Humano (SDH). “Atualmente, temos 14 cegos em Goiás e 14 cegos do Distrito Federal cadastrados. Só poderão ser atendidos cegos que estão nesse cadastro, entretanto futuramente poderão ocorrer novos cadastros”, explicou Leonardo.

Ao término da seleção é realizada a etapa de adaptação do cego ao animal. Nesta fase, que tem duração média de dois meses, o deficiente visual passa um período residindo dentro do Centro de Formação. Ao final dessa etapa o instrutor acompanha o cego e o cão-guia em seu local de residência, onde fica por uma semana.

Fonte: MaisGoiás.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Inscreva-se na newsletter e receba todas as novidades

    LEIA MAIS PUBLICAÇÕES

    Pulsoterapia com corticóide em fribrose sub-retiniana progressiva

    Confira aqui o artigo Pulsoterapia com corticóide em fribrose sub-retiniana progressiva, um estudo dos oftalmologistas e…

    Estudo mostra diminuição de lágrimas em portadores de Olho Seco que usam lentes de contato

    Estudo mostra diminuição no volume de lágrimas em portadores de Olho Seco que usam lentes de contato Usuários de lentes …

    Terçol: como tratar e aliviar os sintomas?

    O terçol, também conhecido como hordéolo, é uma infecção bacteriana das glândulas sebáceas e sudoríparas da pálpebra. …

    confira nosso instagram

    Av. T-2, n 401 - Setor Bueno
    CEP 74.210-010 - Goiânia - GO CNPJ: 00.250.178/0001-90

    Horário de Funcionamento

    Segunda a sexta das 08h às 18h – Atendimento de Urgência 24h

    Redes Sociais

    CBCO – Hospital de Olhos:

    Responsável Técnico: Dr. Arnaldo Cialdini – CRM/GO 5526 – RQE 949

    © Copyright 2021 | CBCO - Todos os direitos reservados.

    Fale Conosco Agora!