Cegueira monocular pode ser eliminada na infância

Cegueira monocular ocorre quando a pessoa enxerga não enxerga com um dos olhos.

Segundo o Dr. Edison Geraissate, grande parte das crianças que frequentam seu consultório são portadoras de ambliopia (baixa de visão em um olho que não se desenvolveu adequadamente na infância) e estão em tratamento para que no futuro possam ser adultos com visão plena.

O que ocorre com essas crianças é que os olhos ainda estão aprendendo a enxergar. Um processo que muita gente não imagina é que as crianças aprendem a enxergar e quanto mais o tempo passa, mais esse processo se cristaliza. Se um dos olhos não aprender a enxergar, o paciente será um adulto com visão monocular, ou seja, que só enxerga com um dos olhos. E na fase adulta, essa cegueira é irreversível.

Em geral, as crianças têm os olhos pequenos (internamente), o que causa um defeito refrativo, como a hipermetropia (dificuldade em ver de perto). Se a criança tem o mesmo grau de hipermetropia nos dois olhos, esses órgãos acompanharão seu crescimento e, caso seja um grau pequeno, vai aprender a enxergar com ambos olhos. Já se o grau da hipermetropia for diferente em ambos os olhos, o cérebro vai focar no olho mais cômodo e ignorar o outro olho. Chamamos essa diferença de ambliopia.

Visualmente, quando vemos uma criança amblíope, não percebemos nenhum problema. Afinal, o olho que enxerga nos dá a impressão que ela enxerga com os dois olhos. O Dr. Geraissate, chefe do Departamento de Estrabismo do CBCO, afirmou que essa situação é tão comum que há médicos oftalmologistas cujos filhos passaram por esse problema e o mesmo não foi detectado.

O trabalho do chefe do Departamento de Estrabismo se concentra em desenvolver soluções para que seus pacientes “aprendam” a enxergar e não para que “voltem” a enxergar, pois eles ainda não aprenderam a ver. Todas as soluções viáveis são tomadas para que o desenvolvimento da criança possa ser normalizado: desde o uso de tampões, óculos com graus corretivos até cirurgias.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Inscreva-se na newsletter e receba todas as novidades

    LEIA MAIS PUBLICAÇÕES

    Universidade oferece visão solidária

    Entrevista Prof. Dr. Marcos Ávila O Centro de Referência em Oftalmologia da Universidade Federal de Goiás completa de…

    Lattes, mas não morde! Entrevista com Dr. Marcos Ávila

    Lattes, mas não morde! Realização: TV UFG e CEB-UFG. Sinopse: conversa com o prof. Marcos Ávila, FM-UFG. O oftalmo…

    De olhos bem abertos – Matéria de “O Popular”

    Apesar de ainda pouco conhecida, ptose palpebral exige atenção e pode interferir na qualidade da visão devido à queda da…

    confira nosso instagram

    Av. T-2, n 401 - Setor Bueno
    CEP 74.210-010 - Goiânia - GO CNPJ: 00.250.178/0001-90

    Horário de Funcionamento

    Segunda a sexta das 08h às 18h – Atendimento de Urgência 24h

    Redes Sociais

    CBCO – Hospital de Olhos:

    Responsável Técnico: Dr. Arnaldo Cialdini – CRM/GO 5526 – RQE 949

    © Copyright 2021 | CBCO - Todos os direitos reservados.

    Fale Conosco Agora!